Unidade capacita profissionais e reduz tempo médio de internação em 53% - Portal de Notícias CE

Portal de Notícias CE

www.portaldenoticiasce.com.br


Última Hora

Divulgação topo

Divulgação 1 Matéria




Web Rádio Portal de Notícias CE

TV Portal

terça-feira, 30 de julho de 2019

Unidade capacita profissionais e reduz tempo médio de internação em 53%

(Fotos - Débora Morais)
A capacitação mostra-se cada vez mais relevante para que os profissionais da saúde realizem um atendimento de qualidade, principalmente para pacientes graves. Por isso, o Hospital Geral de Fortaleza (HGF) tem priorizado a qualificação da equipe da emergência. Os resultados que estão sendo colhidos impactam positivamente no atendimento. Entre as mudanças percebidas de forma mais significativa estão a redução do tempo de permanência na unidade, que teve uma queda de aproximadamente 53%, saindo de 18,8 dias de estadia para 8,8 dias. O setor que mais sentiu essa evolução foi justamente a Emergência, que reduziu o índice em 74%. O tempo médio de internação caiu de 15 dias para 3,9.
Se identificar com o estado de saúde do paciente, acolhendo-o de modo digno, sempre respeitando os direitos da população e ofertando um atendimento no tempo certo e com equidade. É assim que a unidade da rede pública de saúde do Estado do Ceará tem qualificado os trabalhadores multiprofissionais que atuam na emergência de atenção terciária da unidade. Foram realizados cursos sobre parada cardíaca, suporte básico de vida e de uso de ultrassom na emergência. A emergência tem buscado continuamente a redução de encaminhamentos desnecessários, a agilidade aos casos de maior gravidade e a redução dos índices de sequelas e de óbitos. É assim, destacando que cada tomada de decisão reflete nos cuidados necessários, que a chefe da emergência do HGF, Alessandra Leitão, explica a rotina do setor.
“A equipe da Emergência do HGF se prepara de maneira incansável para poder trabalhar de forma harmoniosa, como em uma orquestra. Cuidamos de casos urgentes num ambiente em constante revolução, distante de qualquer rotina. Por isso, uma medida tomada de maneira equivocada, ou uma atenção sonegada, pode interferir de forma direta na evolução do paciente, transformando eventuais falhas em um efeito cascata. Ao entender a real situação quadro clínico, conseguimos mitigar as complicações e tornamos a passagem do paciente mais humanizada e menos desgastante”, explica a emergencista que chefia o setor há três meses.
Para a enfermeira Isabel Cristina Fortes, que trabalha na sala de parada do HGF, os resultados trazem uma motivação extra no dia a dia. “Dá um orgulho muito grande compor uma estrutura que está alcançando resultados tão expressivos. Todos estão empenhados e dando uma maior assistência possível, aproximando os setores e trazendo todos para essa primeira atenção. Os próprios pacientes estão sentindo essa mudança e as melhorias, o que nos anima ainda mais e motiva a seguir dando o nosso melhor”, conta a enfermeira.
No último dia 19 de julho, o governador Camilo Santana e o secretário da saúde Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho visitaram a unidade e conversaram com gestores, profissionais e pacientes da unidade sobre as mudanças realizadas no atendimento no HGF.

Elogio em carta

A aposentada Isolda dos Santos Menezes, 77, é uma das pacientes que foi atendida recentemente na emergência do HGF. Ela chegou ao HGF, na última sexta-feira, 27, com hemorragia digestiva alta (ferida no estômago), mas de imediato recebeu os primeiros cuidados. A filha, Márcia dos Santos Menezes, 47, que está como acompanhante no hospital, escreveu uma carta de elogio à equipe.
“Eu não tenho nada do que reclamar do atendimento daqui. Desde o dia que cheguei aqui muito ruim, que foi na sexta passada, eu fui muito bem recepcionada. As pessoas não fazem distinção de ninguém, desde o médico até os maqueiros. Pedi até para minha filha deixar um elogio à todo a equipe da emergência”, ressaltou a paciente.

Atenção desde o início

O diretor médico do HGF, Francisco de Lucena, detalha como funciona a nova estrutura de atendimento. “Uma vez que um profissional qualificado presta serviço a um paciente na nossa emergência, isso repercute de maneira essencial para o desfecho final do caso. Com o objetivo de diagnosticar de maneira correta já no primeiro momento, é possível diminuir imensamente a possibilidade de não-recuperação do paciente. Assim, melhoramos e qualificamos todo atendimento do paciente dentro do contexto de uma emergência”, salienta Lucena.
Além dos avanços já obtidos, outras medidas serão introduzidas no dia a dia da Unidade, como o Projeto Lean nas Emergências, que visa atuar na promoção de melhorias e no atendimento hospitalar da urgência e emergência. A proposta, do Ministério da Saúde, é realizada por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi/SUS), executado em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo.
Assessoria de Comunicação do Hospital Geral de Fortaleza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Divulgação Matéria 2




Páginas