Unidade Canguru do HGF oferece atenção humanizada a mães e bebês prematuros - Portal de Notícias CE

 



Última Hora

Divulgação topo

Divulgação 1 Matéria

 


TV Portal

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Unidade Canguru do HGF oferece atenção humanizada a mães e bebês prematuros

fotos: Felipe Martins
Arte gráfica: Brauliana Barbosa

 O contato pele a pele entre mãe e bebê não apenas acalma o coração, mas traz grandes benefícios para o desenvolvimento integral da criança. Essa é a principal premissa do Método Canguru, técnica de atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso que, há dez anos, é aplicada no serviço de Neonatologia do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado.


“A unidade Canguru caiu do céu pra mim”, conta Claudênia Sousa, de 28 anos. Durante o pré-natal, a microempreendedora descobriu uma pré-eclâmpsia (doença hipertensiva específica da gravidez) e a necessidade de um parto prematuro. “Eu estava em desespero sem saber como iria cuidar de uma criança tão pequena. Quando me deram a opção de ir pro Canguru, aceitei na hora”, lembra.

>> Método Canguru: mães e bebês são acompanhados mesmo após alta no HRN

Já com o bebê Cícero coladinho no peito, Claudênia recebeu todo o cuidado e orientação da equipe multiprofissional da Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (UCINCa), do serviço de Neonatologia do HGF. “Foi como uma escola, com ótimos professores. Aprendi como pegar nele corretamente, como dar banho, trocar a fralda. Foi muito bom pra me sentir mais próxima dele”, comemora.

“A ideia da UCINCa é justamente aumentar esse vínculo entre mãe e bebê”, afirma a obstetra e chefe do serviço de Neonatologia do HGF, Fabíola Arraes. O espaço da UCINCa, ressalta a médica, contribui não apenas com o aprendizado da mãe, mas acima de tudo com o desenvolvimento do bebê. “É comprovado que o Método Canguru estimula o aleitamento materno, aumenta a imunidade do bebê com o contato pele a pele e, consequentemente, diminui o tempo de internação dele”.

Critérios para o acolhimento

Para ocupar um dos leitos da UCINCa do HGF, é preciso que o bebê e a mãe sigam alguns critérios. O bebê deve ser prematuro, ter entre 1,25kg e 1,50kg, e estar em franco crescimento natural de peso e estatura. Além disso, é necessário que ele não esteja em uso de oxigênio ou de nenhum tipo de medicação injetável.

No Método Canguru, o bebê só deve ser retirado nos momentos de banho, troca de fralda e sono noturno

Já a mãe precisa cumprir apenas dois critérios: vontade e disponibilidade. Para participar do acolhimento, a mãe do bebê deve concordar em ficar 24h por dia na unidade, durante pelo menos sete dias. O bebê só deve ser retirado nos momentos de banho, troca de fralda e sono noturno. “A gente sabe que não é uma coisa fácil ou confortável, mas muitas mães sentem um prazer tão grande de finalmente estar com aquele bebê prematuro no colo, que fazem questão de participar”, afirma a chefe do serviço de Neonatologia do HGF.

Nova estrutura inaugurada

A UCINCa já existe no HGF há dez anos, tendo sido inaugurada na enfermaria do setor de Obstetrícia. Em 2020, passou por reformas, incluindo a mudança de local, para ficar mais próxima ao setor de Neonatologia e atender a demandas propostas pelo Ministério da Saúde (MS) no que diz respeito ao Método Canguru.

O Método Canguru é aplicado há dez anos no serviço de Neonatologia do HGF; espaço foi reformado para atender a demandas propostas pelo Ministério da Saúde

Inaugurado neste mês de fevereiro, o novo espaço conta com cinco leitos, área de convivência, área para realização de procedimentos (coleta de exames, punção venosa, entre outros), banheiro, quarto de banho e acesso direto à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do HGF. “É uma alegria e uma emoção muito grande ver essa unidade reformada”, celebra a médica diarista e responsável pela UCINCa, Dilma Veras. “É neste espaço que conseguimos fazer a diferença na vida de centenas e centenas de bebês”, reconhece.

Acompanhamento ambulatorial

Mesmo após a alta do bebê, a família que participa do Método Canguru continua a ser atendida no Ambulatório de Prematuros da unidade. “No ambulatório, nossa missão é continuar estimulando a mãe nos cuidados com o bebê. É dar condições para que ele tenha qualidade de vida e uma infância saudável e feliz junto à família”, explica a enfermeira do ambulatório, Mona Liza Moura.

O atendimento no Ambulatório de Prematuros do HGF acontece de segunda a sexta, das 7h às 17h, com equipe multidisciplinar que envolve profissionais de Pediatria, Neuropediatria, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Serviço Social e Enfermagem.

Assessoria de Comunicação do GHF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Divulgação Matéria 2


Páginas